Os ovários são glândulas femininas responsáveis pela produção e armazenamento dos óvulos e hormônios femininos (estrógeno e progesterona), que estão localizados na região da pelve. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil registrou 6.150 novos casos de câncer de ovário no ano de 2018. O câncer de ovário afeta uma a cada 71 mulheres, principalmente as que estão na faixa entre os 50 e 60 anos. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura da paciente.

o que é

A causa do câncer de ovário é desconhecida, porém alguns fatores risco podem tornar as mulheres mais propensas ao desenvolvimento da doença. O risco de uma mulher desenvolver câncer de ovário durante sua vida é de cerca de 1 em 78.

De acordo com especialistas, o diagnóstico do câncer de ovário é bem difícil de ser estabelecido. Diante de alguma suspeita, o médico pode pedir exames laboratoriais e de imagem.

Cerca de 20% dos cânceres de ovário são diagnosticados em estágio inicial. O diagnóstico preciso de câncer de ovário só é obtido por meio de uma biópsia ou da própria remoção do tumor. O ultrassom transvaginal, por exemplo, nem sempre permite um diagnóstico conclusivo, pois o tumor pode estar restrito ao ovário. Já a tomográfica ou a ressonância magnética podem ajudar na avaliação da extensão da doença. Outro exame que deve ser realizado para o diagnóstico é a dosagem da proteína CA 125 no sangue, um marcador tumoral frequentemente aumentado no câncer de ovário (mas não é específico, pois também pode aumentar devido outras doenças).

tratamento

O tratamento vai depender muito do estágio em que o câncer de ovário se encontra. O método mais utilizado na cura do câncer de ovário é a cirurgia, que deve ser feita por um especialista no tratamento de doenças oncológicas. Na maioria dos casos a cirurgia é extensa e é necessário realizar a retirada dos ovários, das tubas e do útero.

Outros tratamentos possíveis para a cura da doença são a radioterapia (tratamento que usa a radiação para eliminar as células tumorais), a quimioterapia, hormonoterapia, terapia-alvo ou uma combinação deles. Em pacientes jovens é possível fazer só a retirada do ovário afetado pela doença, mas isso vai depender do prognóstico.

reações

Os efeitos colaterais do tratamento do câncer de ovário duram cerca de 4 meses pós tratamento. Os mais comuns são:

  • Queda de cabelo;
  • Fadiga, náusea e vômito;
  • Aftas na boca;
  • Predisposição a infecções;
  • Formigamento nos dedos das mãos e dos pés.

cuide-se

O risco de câncer nos ovários é aumentado em mulheres com infertilidade, obesidade (alguns estudos sugerem que mulheres obesas possuem 50% mais chance de desenvolver câncer nos ovários), histórico familiar (mulheres de famílias com o histórico da doença, principalmente se forem de primeiro grau: mãe, filha ou irmã) e pela idade (metade das mulheres diagnosticadas estão acima de 63), sendo mais comum o desenvolvimento do câncer em mulheres brancas.

É essencial que todas as mulheres façam acompanhamento ginecológico com um médico especialista e realize exames periodicamente, principalmente se a sua idade for superior a 50 anos ou se você tem um ou mais fatores de risco. Lembre-se que um diagnóstico precoce pode salvar a sua vida!

A mudança no estilo de vida, melhorando a alimentação e a inserção de atividades físicas na rotina, previne não só o câncer de ovários como vários outros tipos de câncer.

Política de Cookies

Esse Website utiliza política de cookies para oferecer uma melhor experiência para o usuário.

Utilizando esse website você permite o uso desses cookies.

Descubra mais sobre como nós utilizamos e gerenciamos cookies lendo nossa Política de Cookies.