Cadastre-se
vida completa é
amar sem fronteiras

A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. Sua função é produzir um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozoides.

Referências:

[1] https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata


BR-7303 - Expiration Date: 25/11/2021

o que é

O câncer de próstata é o segundo com maior incidência entre os homens, perdendo apenas para o câncer de pele. Embora seja uma doença comum, alguns homens ainda não gostam de conversar sobre o assunto, o que dificulta na prevenção e no diagnóstico precoce da doença.

Um fator que dificulta o diagnóstico do câncer de próstata é o preconceito de alguns homens em realizar o exame de toque, que determina alguma alteração causada pelo tumor.

tratamento

O diagnóstico conclusivo é feito por meio de uma biópsia, que é indicada após a realização de um exame de sangue que avalia a dosagem de PSA (antígeno prostático específico) ou toque renal, um exame indolor que dura cerca de 15 segundos, em que, com o dedo protegido por uma luva lubrificada, o médico consegue tocar a próstata e verificar a existência de nódulos ou tecidos endurecidos que podem ser indicadores da doença em estágios iniciais.

Há várias opções de tratamento do câncer de próstata localizado (quando o tumor só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos). Elas vão desde um acompanhamento regular do paciente por meio de consultas e exames, radioterapia a até mesmo cirurgia.

Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para pacientes com dor acentuada em algum osso, a radioterapia no local é indicada, pois ajuda a minimizá-la.

Para doença metastática (quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento mais indicado é a terapia hormonal, que tem como objetivo diminuir os níveis de testosterona, hormônio que serve como alimento para o tumor.

Em alguns casos, quando a escolha recai sobre a radioterapia, pode ser necessária a administração de medicamentos hormonais, a fim de aumentar sua eficácia. Dependendo do perfil da doença e do paciente, pode ser administrado mais de uma modalidade de tratamento.

reações

O tratamento do câncer de próstata poder ser administrado com cirurgia ou radioterapia, ambos os métodos causam efeitos colaterais nos pacientes. Os efeitos mais comuns são: incontinência urinária e perda da função sexual, como disfunção erétil e infertilidade.

Os efeitos colaterais do câncer de próstata podem demorar cerca de um ano e meio para desaparecerem. Os pacientes podem recorrer a medicamentos ou tratamentos alternativos. Em casos mais graves, por exemplo, quando o paciente não consegue mais ter ereção natural, o médico pode sugerir um implante peniano.

cuide-se

A forma mais efetiva de prevenção é o acompanhamento médico periódico, para a realização dos exames. Alguns homens precisam redobrar os cuidados se estiverem dentro do grupo de risco, isto é, se apresentarem um ou mais dos fatores que aumentam o risco do câncer de próstata.

  • Idade: no Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos;
  • Histórico na família: homens cujo pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos;
  • Obesidade: estudos mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal elevado;
  • Grupo étnico: homens negros apresentam um risco maior de desenvolver a doença e ter tumores mais agressivos.
voltar

Suspeita de câncer de próstata

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Quais são os passos para o diagnóstico?

Seu médico pode suspeitar de um câncer prostático se o exame de PSA estiver com os índices elevados para a sua faixa etária ou, ainda, se o exame de toque retal apontar a presença de nódulos ou de regiões da próstata mais endurecidas. O próximo passo, então, será fazer uma biópsia prostática (1). A biópsia é feita a partir da retirada de uma pequena quantidade de tecido, que será avaliado no microscópio para a presença ou não de células cancerosas. No caso da próstata, o ultrassom é utilizado para direcionar a biópsia para a região que apresenta anormalidade. Em geral, tanto a biópsia como o ultrassom são realizados através da parede do ânus (1) e com anestesia local (2). Os resultados demoram cerca de uma semana para ficarem prontos (2).

O que significam os resultados da biópsia?

A biópsia pode ser positiva ou negativa para a presença de células cancerosas. Mesmo que os resultados da biópsia sejam negativos, ou seja, nenhuma célula cancerosa seja encontrada, não se pode excluir totalmente a possibilidade de haver a doença, isso porque a biópsia analisa apenas um pedaço da próstata. O ideal é que o nível de PSA seja checado novamente e, caso o PSA esteja aumentando, que a biópsia seja repetida (1). No caso de a biópsia ter detectado células cancerosas, o diagnóstico de câncer é confirmado e a próxima etapa consiste em determinar quão agressiva é a doença. Ou seja: se ela tem alto potencial para se espalhar (fazer metástases) ou se já se espalhou.

E como se pode saber se meu câncer vai se espalhar ou se já se espalhou?

Para saber se o seu tipo de câncer tem alto potencial para se espalhar é feita uma avaliação da célula cancerosa, comparando-a a uma célula saudável. Quanto mais diferentes entre si, mais agressivo é o câncer e maior é o risco de ele se espalhar (3). Outras opções são observar o nível do PSA (quanto mais alto, maior a chance de ter se espalhado para fora da próstata) (2) ou passar por exames genéticos (3). Para saber se o seu câncer já se espalhou, alguns exames podem ser solicitados: cintilografia óssea, ultrassom, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou tomografia por emissão de pósitrons(3).

No próximo texto tentaremos responder à pergunta: “Se eu tenho câncer de próstata, meus familiares próximos também vão ter?” Não perca!

Referências


você poderá gostar